Planejamento financeiro anual: como montar para 2019?

Mais um fim de ano se aproxima e a ansiedade pelo aumento das vendas nesse período de festas natalinas ampliam as perspectivas de melhorias no caixa da empresa. Ao mesmo tempo, a preocupação com a saúde financeira do negócio não sai da cabeça por causa das contas que sempre se apresentam.

Por isso, manter um planejamento financeiro anual é fundamental para quem quer ter controle sobre o empreendimento e evitar grandes aborrecimentos com um desequilíbrio nas contas. É fundamental, portanto, ter uma disciplina e foco nas operações financeiras de entrada e saída e se antecipar aos acontecimentos, fazendo projeções e planos para promover o crescimento dos negócios ou, até mesmo, contornar as dificuldades.

Neste artigo, abordaremos algumas dicas que poderão ser muito úteis na elaboração de um planejamento financeiro para o ano que se aproxima, ajudando você a iniciar 2019 com o pé direito. Continue a leitura e confira!

Faça uma análise da situação atual

Para iniciar o seu planejamento, é importante conhecer a situação atual da sua empresa apurando as informações financeiras mais relevantes. Comece por fazer um levantamento do valor médio de todas as despesas fixas e variáveis dos últimos meses, assim como as receitas das vendas, os empréstimos contraídos, as contas a receber e o saldo atual das contas-correntes.

Feito isso, organize um fluxo de caixa de entrada e saída de modo a deixar a situação bem clara, com o saldo final ajustado com as previsões de entrada e saída.

Preveja cenários

Em seguida, com os dados de valores médios de receita e despesas relacionados, inicie seu orçamento anual com a formulação de um calendário financeiro, apontando as despesas de acordo com o estimado para as mesmas contas.

Por exemplo: pegue o valor médio gasto nos últimos 12 meses com energia elétrica e o coloque como gasto fixo mês a mês durante todos os meses do ano. Não se esqueça de considerar os reajustes anuais de contas que são controladas pelo governo e atualizados conforme a inflação.

Faça isso detalhadamente sem esquecer de nenhum gasto ou entrada, sempre projetando o valor conforme sua expectativa real, ou seja, sem que o excesso de otimismo ou pessimismo o contagie.

Evite novos empréstimos

Durante o seu planejamento, considere a possibilidade de não contrair novos empréstimos mesmo se estiver enfrentando alguma dificuldade. Apesar da estabilidade da inflação e da queda dos juros, o país ainda não tem uma política de crédito atraente e os custos de uma operação como essa podem comprometer a sua rentabilidade e atrapalhar o resultado final do negócio.

Busque outras alternativas para equilibrar as contas, como reduzir despesas, vender ativos ou, até mesmo, aumentar a receita. Tudo o que puder fazer para evitar um novo compromisso que o impeça de fazer investimentos ou ter maiores lucros.

Separe conta pessoal e empresarial

Um dos problemas mais comuns nas pequenas e médias empresas é a mistura do caixa pessoal do dono com o da empresa. Para evitá-lo, estabeleça um valor fixo de retirada no orçamento, que será o seu salário ou o pró-labore.

Seja disciplinado e procure manter separado o controle desses dois orçamentos para não cair na tentação de usar dinheiro da empresa para pagar a conta do telefone da sua residência, mesmo que ache justo ou natural. Mantendo essa separação, ficará mais fácil ter uma leitura do desempenho do empreendimento, o que contribui para ações mais concretas em relação à gestão empresarial.

Reduza despesas desnecessárias

Ao fazer o levantamento da situação atual da empresa, será possível identificar as contas que eventualmente poderão ser descartadas ou reduzidas do orçamento. Considere que todas as despesas podem ter alguma “gordurinha a ser queimada” e, portanto, deve haver ações que visem a sua contenção.

Despesas que parecem difíceis de ser controladas, como a inadimplência, devem receber uma atenção especial. Nesse caso, o gestor deve se preocupar em definir uma política de concessão de crédito melhor ou dispor de meios de pagamento mais seguros, evitando modelos mais propensos aos calotes e, assim, reduzir essa conta amarga do seu orçamento.

Desse modo, ele deve agir diante de todas as contas semelhantes sempre com muita disposição e criatividade.

Mantenha o preço justo

Os motivos que levam o consumidor a procurar pelo seu estabelecimento são os mais diversos possíveis mas, sem dúvida nenhuma, muita gente é atraída pelas promoções, que não necessariamente têm a ver com o preço do produto.

É importante o empresário saber que nem sempre o mais barato é o que mais vende. Por isso, considere outras estratégias de atração que não fiquem focadas somente no preço. Trabalhe outras opções como brindes, prestação de serviços, prazos de pagamentos etc. Mas sempre pratique o preço justo!

Procure pesquisar a concorrência para saber quais valores de vendas de produtos similares estão sendo praticados e considere sempre os seus custos para estabelecer o valor de venda ideal ao seu cliente.

Controle o seu estoque

Mantenha seu estoque sempre atualizado e evite perder vendas por falta de mercadoria na prateleira. Para ajudar, procure usar algum software de gestão de estoques. Esses programas estão cada vez mais acessíveis, fáceis de operar e disponíveis para os mais diversos tipos e tamanhos de empresas.

Monitorando seu estoque, suas perdas serão reduzidas significativamente com reposições mais seguras e fáceis de controlar. Isso significa mais dinheiro em caixa!

Use um software financeiro

No seu planejamento anual, considere alguns investimentos que possam trazer retorno imediato para o seu negócio, como a automação de processos operacionais através da utilização de softwares de gestão financeira e de crédito.

Como dissemos, atualmente não há empresa – independentemente do seu tamanho – para a qual o mercado não ofereça opções de programas que ajudem a controlar as suas finanças e tornar a vida do empreendedor mais fácil e prazerosa.

Com essas dicas, a sua gestão ficará mais profissionalizada e a sua empresa poderá atingir outra dimensão sob um olhar mais atento aos detalhes. A hora, então, é de criar um plano de ação para prosseguir com o seu planejamento financeiro anual e aperfeiçoar a gestão do seu negócio.

Caso precise de ajuda com a sua gestão de crédito e cobrança, saiba que pode contar com a melhor empresa do segmento. Entre em contato conosco e saiba como podemos ajudar nas suas finanças.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *